Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Sexta feira rumei bem cedo ao hospital. Tínhamos que fintar o trânsito e a ansiedade do exame.

Chegámos cedo, sem filas de tráfego, apenas com os nervos que crescem pelo caminho. Uma mãe tenta sempre disfarçar aos filhos esta ansiedade que nos corrói. A cafetaria do hospital é sempre uma boa aliada para me dar algum açúcar e aqueles ares de rotina de quem pede um café em qualquer lado.

Os sonhos sorriram-me do outro lado da vitrina. Não deixa de ser irónico que, nos dois últimos anos, tenha sempre inaugurado a época natalícia dos sonhos no hospital. E posso mesmo garantir que é mais certo saber que o Natal está próximo quando os sonhos aparecem à venda na cafetaria do hospital. O restante comércio antecipa-se demasiado, mesmo quando ainda nem faz frio.

O Manel devorou comigo o sonho e entrámos para o exame, sacudindo os restos de açúcar dos cantos da boca, com cuidado para não afugentar de nós o sonho e a esperança.

As ondas do gráfico do electroencefalograma dançaram perante os meus olhos. Ainda não sou capaz de ler essas ondas. Mesmo assim, os meus olhos colam-se no ecrã como quem quer tentar adivinhar algum sinal, seja bom ou mau.

Pela primeira vez, foram-me preliminarmente confirmadas perspectivas de uma epilepsia mais controlada. Mesmo assim, vou aguardar pelo relatório escrito para então rasgar melhor o meu sorriso e alívio.

Segue-se um abraço apertado ao Manel que fica na escola, com a cabeça marcada do gel do exame,  neste caso, e pela primeira vez, uma marca positiva do EEG. Das outras vezes, tentava limpar logo e a todo o custo as marcas dos exames. Desta vez, nem me importei, trazíamos connosco restos do gel que não apagaram o sabor dos sonhos de açúcar.

O fim de semana mal começava e nem de propósito teria que enfrentar o Congresso de Esclerose Tuberosa. Neste evento anual procuro sempre saber mais notícias dos medicamentos, novas esperanças... mas simultaneamente é o momento de sofrer por antecipação, conhecer ao vivo casos graves de meninos bem mais velhos que o Manel. Muitos não falam, nem andam e parecem alheios ao mundo. Mas uma Mãe de cabelos brancos garantiu perante toda a plateia que o seu filho (apenas capaz de sorrir) lhe continua a trazer diariamente a força de viver e alegria. Haja o que houver no futuro, o mais importante é o sorriso do Manel, pensei, chorando. Custa muito chorar em público. Custa ainda mais quando tenho que fazer uma apresentação sobre o processo judicial de interdição e inabilitação de incapazes por anomalia psíquica.

Por feliz coincidência, no último slide tinha colocado esta foto do Manel, sorrindo.... Não sei se o Manel um dia chegará a estudar na escola, se será perante a lei um incapaz interdito... mas eu serei sempre uma Mãe babada pelo seu sorriso. O meu sonho é este... ter sempre este sorriso.

fotografia (12).JPG

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


5 comentários

Sem imagem de perfil

De Raquel a 25.11.2014 às 01:42

Querida Mônica,

A tua boa energia, valores e bondade contagiam tudo e todos.

E por isso, só de ler os textos que escreves riu e lacrimejo. ( as vezes choro, mas não gosto que se saiba)

As mães lutam como se nada se tratasse, como se fosse algo que tivéssemos feito vários doutoramentos... Com naturalidade e a persistência e resistência inerente de quem pareçe nunca ter feito outra coisa na vida.
É claro que quem nos vê com o açúcar no canto da boca, não entende por vezes a necessidade de comer um sonho....
És uma inspiração no quão positiva e acredito que como especialista do medicamento que faça toda a diferença no acompanhamento de qualquer que seja a patologia.
Essa energia tão forte que passa para mim em apenas palavras que leio, o que não fará num acompanhamento diário!
Por isso sei com certeza que a minha prática traduz, que grande parte do tratamento do Manel és tu, o saudável que és! E o grande pai que tem também.
Não desprezando é claro todos os que te apoiam... E também o apoiam a ele.
Por isso nunca o sorriso vai cessar.

O sorriso do Manel é só o reflexo do amor que recebe!

Queria partilhar isto contigo, mas não ligues, são desvaneios de mãe!!!

Beijinho grande
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 25.11.2014 às 09:51

Mónica comtoda a minha simplecidade que bem conheces , não tenho palavras para te dizer pois tu tens a capacidade de exprimires o que te vai na alma com.frases lindas . O que te posso dizer é que caso seja possivel aceita um pouco da minha força para ficares ainda mais forte

beijão para ti e beijiho ao Manelocas e ao Kiko tudo vai correr bem não como nós queremos mas o melhor possivel ok
Sem imagem de perfil

De Alexandra a 25.11.2014 às 10:43

Que palavras tão bonitas. Revejo-me tanto nelas.
Eu cá acredito no pensamento positivo. Acho mesmo que ele nos alimenta...a nós e a quem nos rodeia. Desejo que esse pensamento a acompanhe sempre.
Sem imagem de perfil

De Maria João Soarez a 25.11.2014 às 21:23

Estou feliz por vós. Beijo grande
Sem imagem de perfil

De Ana Moita a 04.01.2015 às 17:30

Mônica desde já parabéns pelo blog e muita força :)
Deus nunca nos dá uma cruz maior do que a conseguimos carregar!

Já agora parabéns pelo concurso!! Beijinhos

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D